Interrogação representando as dúvidas sobre os grupos de risco para a covid-19

Autores*: Larissa Maria Soares Avelar, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Diante da pandemia do novo coronavírus, é natural que tenhamos algumas dúvidas referentes ao tema. Neste post, algumas das dúvidas sobre os grupos de risco para a covid-19 serão comentadas. Se você é uma dessas pessoas que também quer entender mais sobre o novo coronavírus e a covid-19, então confira aqui algumas das principais perguntas e respostas sobre o tema!

Tablet exibindo gráfico de taxa de mortalidade de covid-19.

Autores*: Clara Lopes Machado, Vitor Yukio Ninomiya, Gabriella Yuka Shiomatsu, Ricardo Tadeu de Carvalho.

A epidemia da covid-19  em Minas Gerais trouxe vários conceitos médicos importantes para o cotidiano das pessoas. Com isso, compreender bem alguns desses conceitos, como a taxa de mortalidade por covid-19 e taxa de letalidade, tornou-se essencial ao maior entendimento do perfil da atual pandemia. 

Aqui, explicaremos alguns dos conceitos relacionados à taxa de mortalidade e à de letalidade, bem como suas aplicações sobre os dados epidemiológicos divulgados pela mídia. Quer entender melhor? Acompanhe!

Tela de monitor de multiparâmetros de sinais vitais onde é possível ver o reflexo de um manequim utilizado para treinamento de intubação, um dos meios de evitar a morte por covid-19.

Autores*: Ingrid Lourenço, Mateus Jorge Nardelli, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

A primeira morte confirmada por covid-19 em Minas Gerais ocorreu no final de março de 2020. Embora a maioria dos casos de covid-19 seja leve ou moderado, muitas pessoas apresentam a doença grave (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que pode levar à morte. Apesar de isso ocorrer em apenas 2,1% dos casos em Minas Gerais, de acordo com o Informe Epidemiológico do dia 27 de julho, já é o suficiente para causar um grande impacto na população caso as medidas de prevenção não sejam tomadas.

Entenda a seguir o que acontece no nosso corpo e como a covid-19 pode levar à morte.

Foto de acesso venoso periférico em mão para hidratação do paciente e monitorização, que fazem parte do tratamento da SRAG

Autores*: Mariana Dinamarco Mestriner, Letícia de Melo Elias, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Você sabia que o novo coronavírus é chamado de SARS-CoV-2 pela ciência? O próprio nome nos alerta para a sua complicação mais grave, a Síndrome Respiratória Aguda Grave. É principalmente ela que causa os óbitos e as internações por covid-19. A sigla SARS, que vem do inglês, significa “Síndrome Respiratória Aguda Grave”. Já a sigla “CoV” faz referência a coronavírus, a família do vírus. O número 2 indica que ele é muito semelhante a outro, o SARS-CoV. Em outras palavras, o vírus causador da covid-19 é denominado “coronavírus 2 causador da síndrome respiratória aguda grave”.

Apesar de a maioria dos pacientes se recuperar completamente com cuidados domiciliares, aproximadamente 14% desenvolvem a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), condição grave responsável pela maior parte dos óbitos pela covid-19. Afinal, como é feito o tratamento da SRAG? Tire suas dúvidas aqui!

Imagem representando o novo coronavírus ou SARS-CoV-2, um dos microorganismos que pode causar a síndrome respiratória aguda grave.

Autores*: Marcela Tozzi, Mateus Jorge Nardelli, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou situação de pandemia em 11 de março de 2020. Desde então, a covid-19 tem sido o principal assunto em todos os veículos de comunicação por todo o mundo. Sabe-se que essa doença é causada pelo vírus SARS-CoV-2, também conhecido como novo coronavírus. Ele pode causar uma condição bastante grave, chamada de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

Com a evolução das pesquisas, aprendemos cada vez mais sobre o perfil do novo coronavírus e a forma como ele age em nosso corpo, mas ainda há muito a ser descoberto. Nesse post, explicaremos sobre os efeitos no nosso organismo para que a covid-19 grave se manifeste, em que situações isso tem mais chance de ocorrer e como se prevenir.

Trata-se de um assunto de extrema importância. Então, não deixe de conferir esse post!

Ambulância pronta para atender casos de emergência, o que é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Autores*: Letícia Siqueira Araújo, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, o termo Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) passou a fazer parte do nosso cotidiano em noticiários e na mídia em geral. Mas, afinal, você sabe o que é Síndrome Respiratória Aguda Grave?

Entender esse conceito é fundamental para saber o porquê das medidas preventivas serem tão importantes. Apesar da covid-19 apresentar sintomas leves na maioria dos casos, as formas graves podem causar a morte do paciente.

Ficou interessado no assunto? Acompanhe o nosso post!

Desenho de casas e pessoas representando o isolamento vertical e isolamento horizontal pela pandemia do coronavírus

Autores*: João Pedro Thimotheo Batista, Leandro José Pedrosa de Lima Oliveira, Lucas Riolo Salles, Leandra Prates Diniz, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

O que você sabe sobre isolamento vertical e isolamento horizontal? Bem, a primeira coisa que devemos esclarecer é que, apesar de o isolamento social ser um conceito que se popularizou, ele não é o mais preciso. É melhor falarmos de distanciamento social. A palavra “isolamento” é melhor utilizada quando nos referimos às medidas voltadas para pessoas com sintomas ou que tiveram contato com casos confirmados ou suspeitos de covid-19. Já o termo “distanciamento” pode ser melhor utilizado quando nos referimos às medidas voltadas para a população geral.

Ambos são medidas de saúde pública de história antiga e, ainda hoje, muito importantes para impedir o avanço de doenças infecciosas, como a covid-19. Existem duas modalidades diferentes de distanciamento: o vertical e o horizontal, e suas diferenças podem gerar dúvidas, assim como na confusão entre termos como quarentena e lockdown.

Embora os dois tipos de distanciamento sejam praticados de maneiras distintas, ambos apresentam seus benefícios e desafios particulares. Nesse texto, você poderá entender melhor as diferenças, além de ter acesso a dados que demonstram a eficácia do distanciamento no contexto da pandemia de covid-19. 

Tubo com amostra de sangue para testes de coronavírus.

Autores*: Mariana Rodrigues, Gabriella Yuka Shiomatsu, Vitor Yukio Ninomiya, Ricardo Tadeu de Carvalho.

Os testes laboratoriais são essenciais para o diagnóstico, acompanhamento e verificação da disseminação dos casos de covid-19. No entanto, os testes devem respeitar critérios muito bem estabelecidos pela vigilância epidemiológica. Sendo, assim, possível utilizar de forma mais estratégica os recursos diagnósticos disponíveis, de acordo com a demanda prioritária dos grupos de risco e as populações mais vulneráveis à infecção.

Quer entender melhor? Então, leia nosso post até o final!

© 2021 SES - Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Desenvolvido pela Assessoria de Comunicação Social.